Com o mercado cada vez mais aberto e disputado, não basta que as empresas se foquem nos preços de seus produtos e serviços. A velha estratégia de aumentar o volume de produção e reduzir custos deixou de ser uma ferramenta de competitividade.

Atingir novos mercados e conservar os já conquistados exige conciliar produtividade e qualidade. Nesse cenário, a manutenção elétrica tem um papel estratégico. Quando há uma política de manutenção alinhada com os objetivos organizacionais, os resultados são evidentes:

  1. Antecipação e solução de falhas;
  2. Alto grau de funcionalidade;
  3. otimização do custo global.

 

Tipos de manutenção

Há quatro tipos ou políticas básicas de manutenção:

Manutenção Corretiva – Pode ser planejada ou não. No primeiro caso, o equipamento apresenta um problema operacional, que depende de decisão gerencial para ser corrigido. Já a manutenção corretiva não planejada é a correção aleatória de uma falha, para evitar possíveis problemas – sem preparar componentes nem planejar o serviço. É recomendada para equipamentos sem influência no processo produtivo, pois sua aplicação isolada exige grandes estoques de peças.

Manutenção Preventiva – É feita para evitar ou ao menos reduzir a falha ou queda no desempenho do equipamento, seguindo um plano previamente elaborado. Em função disso, é o tipo de manutenção mais indicado para peças e equipamentos que sofrem constante desgaste.

Manutenção Preditiva – Também conhecida como manutenção sob condição ou manutenção com base no estado do equipamento. Usando dados coletados ao longo do tempo com instrumentos específicos, é verificada e analisada a tendência de variáveis de um sistema ou máquina, para definir seu estado de funcionamento futuro. Seu maior benefício é realizar a manutenção antes que a falha surja, evitando os prejuízos decorrentes.

Manutenção Detectiva (Pró-ativa) – É realizada em sistemas de proteção ou comando. Seu objetivo é detectar falhas que não são percebidas pelos profissionais de operação e manutenção. Esse é o tipo de manutenção mais recente, ainda pouco conhecido no Brasil. Em função dos benefícios que proporciona, tende a ocupar uma importância crescente nas empresas.

Novas tecnologias para manutenções cada vez mais precisas 

É claro que diagnosticar e solucionar falhas antecipadamente economiza tempo e dinheiro para as empresas. Nesse sentido, alguns conceitos já começam a definir as tendências futuras da manutenção elétrica.

IoT: integrando informações para multiplicar resultados.

A IoT ou internet das coisas tem incorporado um número crescente de equipamentos. E quanto mais eles são integrados, maior a transmissão e o cruzamento de dados sobre o seu desempenho, o ciclo de vida de suas peças,
etc.

Essas informações são valiosas para que os profissionais de manutenção preditiva prevejam possíveis falhas, com precisão muito maior. Assim, a aquisição de peças e a substituição de itens podem ser programadas, evitando
paradas e gastos com estoque desnecessários.

Indústria 4.0: manutenção detectiva com máquinas inteligentes.

O conceito da indústria 4.0 permite utilizar a inteligência artificial para a  manutenção detectiva em vários tipos de empresas – e não apenas em indústrias. Sensores no equipamento fazem inspeções automáticas, avaliando fatores geradores de falhas em potencial, como contaminação ou temperatura anormal. Essas irregularidades são identificadas e informadas, permitindo identificar possíveis falhas muito antes que aconteçam.

Compartilhar
Tags relacionadas

Leia também