Eficiência energética para empresas verdes.

Como uma empresa que consome energia renovável pode ser ainda mais sustentável? A resposta é simples: investindo em eficiência energética. O conceito é amplo, mas na prática, consiste em fazer mais com menos recursos, mantendo a qualidade e segurança das instalações. Além dos benefícios econômicos, a utilização de menos recursos naturais está dentro das boas práticas de ESG, por contribuir com a preservação do meio ambiente. 

Recentemente, o Mercado Municipal do Rio de Janeiro (CADEG) estava perdendo lojistas por conta de problemas no suprimento de energia. A subestação local estava no limite de carga e a luz faltava sempre que havia um consumo maior. A CPFL Soluções desenvolveu uma solução que combinou autoprodução com geradores a gás natural e uma usina fotovoltaica. 

Foram instalados seis modernos grupos geradores de 400 kVA capazes de produzir 2,4 MWh, além da aplicação de 5.125 placas solares no telhado do edifício (1,7 MWp). Juntas, as soluções vão promover a redução mensal de R$ 150 mil na conta de luz, bem como trazer mais conforto e segurança para os mais de 6 mil trabalhadores do local. 

Assim como o CADEG, sua empresa pode ser mais eficiente. Veja como a eficiência energética pode ser alcançada quando a empresa consome de fontes renováveis. 

1.Manutenção de plantas fotovoltaicas

Uma instalação fotovoltaica é uma importante medida de eficiência energética, pois reduz a necessidade do consumo de energia elétrica da rede. No entanto, para o bom funcionamento da planta, é fundamental que se tenha bem definido um Plano de Manutenção. Contemplando as manutenções preventivas, corretivas e principalmente as preditivas. Além da remoção de poeira e folhas das placas, também são realizados reapertos nos terminais bem como as análises termográficas. Garantindo assim uma máxima performance de geração da usina.

2. Manutenção e Operação em sistemas de climatização

Os sistemas de climatização que utilizam os equipamentos denominados Chillers são importantíssimos nas plantas industriais e comerciais. Uma falha pode deixar a planta totalmente indisponível, interrompendo a produção no caso da indústria ou fechando o estabelecimento no caso de shopping centers. Para que isso não ocorra é muito importante que possua uma operação assistida através de um operador acompanhando e visualizando o funcionamento do sistema e um plano de manutenção bem estruturado para as devidas intervenções preventivas, corretivas e preditivas necessárias no sistema. Alguns sistemas utilizam líquido refrigerante que se faz necessário um acompanhamento de análise físico-químico.

3. Operação de sistemas de armazenamento

As tecnologias de armazenamento de energia de grande porte (acima de 0,5MW), aos poucos, vêm ganhando adeptos. Sua principal função é guardar energia elétrica para o uso posterior. Porém, são equipamentos sensíveis, cuja manutenção e operação precisa ser realizada por profissionais altamente capacitados devido ser uma nova tecnologia e ainda não existe formação para capacitação de técnicos. São equipamentos que possui elevado valor agregado e a falta de manutenção e/ou o mau uso podem prejudicar o funcionamento comprometendo a vida útil do produto.

4. Manutenção e operação em motores elétricos 

Na busca pela eficiência energética, empresas podem adotar medidas como a substituição de equipamentos antigos por modelos mais novos de alta performance ou até mesmo utilizar tecnologias mais avançadas a fim de melhorar o processo de operação, Considerando uma empresa com intenso emprego de motores, por exemplo, o uso de soft start pode ajudar a modular a partida do motor, obtendo melhor controle na aceleração e desaceleração. Medidas de retrofit também tornam o equipamento mais eficiente, portanto, com menor consumo de energia elétrica. Para motores de grande potência são utilizados sistemas de partidas instaladas em eletrocentros, que requer todo um plano de manutenção dedicado aos sistema.