Hoje, mais de 7 mil empresas já desfrutam da liberdade de negociação e da economia que o Mercado Livre de Energia proporciona. Esses clientes são os maiores consumidores de energia do Brasil, representando 30% de toda a carga do setor elétrico, segundo levantamento exclusivo da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Como o próprio nome indica, as empresas que aderem a esse mercado são livres para comprar energia do fornecedor que julgarem mais interessante, levando em consideração questões como o preço praticado, a segurança no fornecimento e o tipo de fonte geradora. Essa compra pode ser feita diretamente das empresas geradoras (as usinas) ou das comercializadoras, mediante contrato negociado entre as partes.

De modo semelhante ao setor de telefonia, o Mercado Livre de Energia permite ao consumidor exercer o seu direito de portabilidade também no setor de elétrico – possibilidade que ainda é restrita a clientes com um consumo mais expressivo de energia.

Como o Mercado Livre de Energia pode ser bom para as empresas?

Ao comprar energia diretamente das geradoras ou comercializadoras, o cliente tem maior poder de negociação e, consequentemente, redução no custo da energia contratada. Em uma estimativa conservadora, o Mercado Livre de Energia pode proporcionar economia de até 30% em relação ao Mercado Regulado.

Para além da economia na hora da contratação, o Mercado Livre de Energia oferece às empresas outros pontos vantajosos:

  • Desconto na TUSD e TUST – Para promover a expansão do uso de fontes alternativas de geração de energia, foram criados incentivos legais tanto para fornecedores quanto para consumidores. Assim, empreendimentos que investem na compra de energia de fontes renováveis podem ser beneficiados com redução nas Tarifas de Uso dos Sistemas de Transmissão (TUST) e de Distribuição (TUSD), que pode variar de 50 a 100%.
  • Planejamento orçamentário – A previsibilidade é essencial para o planejamento financeiro das empresas. Ao negociar diretamente com o fornecedor, os preços são definidos pelo período de vigência do contrato, permitindo aos clientes saber o quanto vão pagar.
  • Ausência de Bandeiras Tarifárias – No mercado cativo, o consumidor está todos os meses sujeito às Bandeiras Tarifárias, sistema por meio do qual a ANEEL define, mês a mês, se a conta de luz vai estar mais ou menos cara, de acordo com as condições de produção de energia elétrica naquele momento. Na prática, é isso o que faz com que a conta de luz residencial, por exemplo, fique mais cara em meses sem chuva, quando a capacidade de geração de energia do país está mais baixa. Como os contratos são negociados diretamente com as geradoras, as Bandeiras Tarifárias não se aplicam ao Mercado Livre de Energia, o que permite mais previsibilidade e menos variação nos custos da empresa.
  • Venda da energia excedente – Caso as empresas que aderiram ao Mercado Livre de Energia não consumirem toda a energia contratada, elas podem pedir autorização à ANEEL para comercializar o excedente com outros agentes do Mercado, otimizando, assim, os recursos.
  • Garantia da ANEEL – É importante ressaltar que o Mercado Livre de Energia é totalmente regulado e seguro, pois conta com o aval e a supervisão da ANEEL. A comercialização de energia é regulamentada pela Resolução Normativa nº 678 da agência reguladora, de 1º de setembro de 2015.

O Mercado Livre de Energia é uma opção segura e vantajosa que oferece às empresas a liberdade de escolher o melhor fornecedor, com base em critérios que sejam interessantes ao seu negócio, promovendo eficiência e economia. Dentro desse contexto, a CPFL Soluções está apta a oferecer o Mercado Livre de Energia e todos os seus benefícios. Por meio de soluções pensadas e executadas com excelência, além de um time qualificado de especialistas, a empresa busca sempre tornar o negócio de seus clientes mais competitivo e sustentável.

Compartilhar

Leia também

02/03/2021

Conta-Covid nas tarifas de energia

ler artigo

Sancionada a Lei da MP do Consumidor

ler artigo

Proposta de devolução de créditos ao consumidor está em discussão na ANEEL

ler artigo

MP da Eletrobras pode vencer barreiras para avançar no Congresso

ler artigo
19/02/2021

Precisamos falar sobre transição energética

ler artigo
12/02/2021

Por que migrar minha empresa para o Mercado Livre de Energia?

ler artigo
01/02/2021

Em discussão na ANEEL

ler artigo

Curtas: Resumo dos principais assuntos do mês

ler artigo

Resposta da Demanda: Oportunidade para os Consumidores

ler artigo

Setor Elétrico enfrenta agenda desafiadora em 2021

ler artigo