Entenda as vantagens e desvantagens das redes de distribuição aérea, compacta e subterrânea

Quando o assunto é rede de distribuição de energia, a primeira imagem que vem à nossa mente são postes de concreto ou madeira, um emaranhado de fios ligados às penduradas caixas de metal (transformadores) e etc… 

Mais comum no Brasil, a rede de distribuição área é uma tecnologia do século passado e apresenta um nível mais baixo de confiabilidade devido a sua vulnerabilidade. No entanto, é economicamente acessível, o que torna sua utilização oportuna em regiões complexas ou distantes dos grandes centros urbanos. Em áreas rurais, como fazendas, ainda é uma solução funcional.

Entretanto, devido à vulnerabilidade das redes aéreas, houve a necessidade de uma atualização tecnológica para tornar os equipamentos mais compactos, resilientes e seguros. Surgiu, então, as redes compactas. Embora mais eficientes, o nível de exposição ainda é superior aos das redes subterrâneas, perdendo também em atributos como interrupções/ paradas inesperadas, segurança e custo benefício. 

Apesar das redes subterrâneas terem um custo maior de implantação, trata-se de uma tecnologia com menor custo de manutenção, o que produz uma segurança e aparência organizada aos espaços. 

Centros comerciais e habitacionais em grandes metrópoles do mundo, como Londres (Inglaterra), Barcelona (Espanha), Paris (França) e Washington (EUA), estão adotando as redes subterrâneas para proporcionar uma experiência superior de convivência e trabalho à sociedade. Hoje a tendência são ambientes que oferecem, em um só lugar, trabalho, moradia, lazer e entretenimento, tudo isso com conforto e segurança. 

Olhando pelo aspecto técnico, as redes subterrâneas também atendem melhor os consumidores industriais, conferindo mais confiabilidade e eficiência para o fornecimento de energia elétrica, uma vez que não estão expostas a fenômenos naturais e animais e acidentes de atrito.

E olha só, os produtores de energia renováveis como solar fotovoltaica e eólica também utilizam as redes subterrâneas para proporcionar mais segurança ao escoamento de energia ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Rede de distribuição: Aérea Vs. Subterrânea

Tipos de rede de distribuição:

Rede de distribuição aérea

Mais comum no Brasil, a rede de distribuição aérea convencional é composta por diversos elementos, como:

Desenvolvido há mais de 50 anos, esse sistema de distribuição conta com uma fiação que pode ser classificada como primária ou secundária, de acordo com a sua tensão. Tecnologicamente falando, a rede de distribuição área se encontra saturada e apresenta um baixo nível de confiabilidade, principalmente por conta da sua alta exposição.

Como seus condutores não são isolados, não é um sistema adequado para áreas com arborização, pois o contato pode fazer com que todo o sistema se desligue. Nas áreas com construções e edifícios, é necessário que haja um afastamento mínimo para a prevenção de contato acidental com pessoas.

Esse é o sistema de distribuição mais barato do mercado, mas em contrapartida, apresenta um grande custo de manutenção. Por ser uma rede totalmente exposta às intempéries ambientais, ela apresenta uma alta incidência de danos e falhas, além de demandar a poda constante das árvores próximas. 

Além desse tipo de dano, também deve ser considerada a ocorrência de acidentes de trânsito (impacto de veículos contra os postes de sustentação da rede), tempestades com raios, animais, queda de árvores, ventos fortes, etc. 

Foto de Rede de Distribuição Aérea – Imagem de banco gratuito online.

Rede de distribuição aérea compacta

Esse tipo de rede foi criado na década de 90 e apresenta um maior nível de segurança em comparação à rede convencional, principalmente por conta de dois fatores essenciais: por ser compacta, ela ocupa menos espaço (reduzindo a área de exposição) e por apresentar cabos com proteção.

Surgindo como uma alternativa mais funcional, a rede aérea compacta foi criada para aumentar a confiabilidade do sistema e melhorar a qualidade da energia elétrica distribuída. Ela é formada por um conjunto de cabos cobertos ou protegidos, fixados a braços metálicos e separadores. Ainda que protegidos, esses cabos não são necessariamente isolados, mas apresentam uma maior segurança quanto à arborização do ambiente. 

Foto de Rede de Distribuição Aérea Compacta – Imagem de banco gratuito online

Rede de distribuição subterrânea 

Esse tipo de rede,  embora apresente um investimento maior, é um sistema muito mais seguro e confiável. Como toda a fiação é encoberta, apresenta uma menor exposição aos problemas ambientais e acidentes que interrompem a distribuição e causam danos na rede. Por esse motivo, apesar de ser mais caro, as redes subterrâneas demandam manutenção preventiva e corretiva muito menor comparada as redes aéreas, apresentando uma grande melhoria no custo-benefício da instalação.

Outra vantagem está na estética apresentada: sem a grande quantidade de fios expostos, o local fica com uma aparência mais limpa e organizada, valorizando os empreendimentos comerciais, a urbanização das cidades e indústrias. Também promove uma entrega de energia mais eficiente e confiável, de acordo com a demanda e as necessidades dos consumidores finais.

É uma alternativa precisa, que realiza o transporte e a distribuição de energia sem desperdício e falhas, sendo a melhor opção para grandes cidades, condomínios, grandes comércios e indústrias. Apesar da rede de distribuição subterrânea demandar um maior investimento, apresenta inúmeras vantagens, como maior previsibilidade produtiva, melhor desempenho e estabilidade na distribuição energética.

Foto de fiação subterrânea – Imagem de banco gratuito online

Para otimizar ainda mais as atividades da sua empresa, conte com a CPFL Soluções. Através da nossa consultoria, você pode trilhar o caminho mais seguro e eficiente para o seu negócio! Entre em contato conosco!